Archive for Junho, 2008

Junho 22, 2008

[A. Lambret]

.açebac atnop ed uoriv

odnum uemosson E

ohlemrev es-zef edrev O

odarre es-zef otrec O

etneper ed euq siam oãn etneper ed E

Anúncios

Junho 22, 2008

 Ah, não! Ainda não posso escrever sobre ele.

 Deixe-me sofrer primeiro,

 e só então deixar o papel absorver meu coração.

 

 [Amelie Lambret]

Junho 22, 2008

   Tudo tão pequeno

   e eu escrevi hoje em azul

   Pra que pensar,

   se eles estão lá?

Solto…

Junho 14, 2008

 

 

 

        Só a filosofia poderá nos salvar

 

      

     

       só a banalidade poderá nos cegar

 

 

     

       e apenas as palavras nos farão amar.

Junho 14, 2008

Fui ao teu encontro

no entanto,

tu não vieste ao meu

Chorei. Uma vez mais

Não por ti, mas por mim

 

Até quando esta maldita auto-piedade, meu Deus?

(Amelie Lambret)

 

Poesia minha

Junho 14, 2008

 E quando a encontrarem

 serei eu não mais do que resquícios de matéria.

 Livre.

 E assim feliz.

 ?.

 

 

 [Amelie Lambret]

 

Junho 12, 2008

Nem tudo será assim.

Nem tudo será.

Nem tudo.

 

Nem eu.

 

[A. Lambret]

Junho 12, 2008

  

   – O que é que há?

   – O vazio dói mais que o frio.

Difusão

Junho 11, 2008

 

Imprecisão de cores

e palavras sem rimas

Um infinito vazio

e espelho de sombras

Nada é novo

e o novo não é nada que faça a diferença.

 

Amelie Lambret

 

Só um lembrete…

Junho 11, 2008

 

Nesse lugar

 (que eu não sei qual é)

358 pessoas ganham mais do que 2,6 bilhões de explorad@s.

 

A. Lambret.